AgroGeral

Abrindo espaço para as Agrotechs, M2M aposta no mercado de CRA

Proposta é garantir que as empresas de tecnologia agro prestem seus serviços e informações, além de garantir publicidade para todos os envolvidos ou interessados

Com a apresentação do Plano Safra 19/20 para o financiamento à produção agrícola, o governo revelou que vai manter os R$ 220 bilhões do ano passado, entre subsídios, subvenções e recursos destinados ao financiamento da produção. Apenas no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) são R$ 30 bilhões, enquanto a subvenção ao crédito agrícola obteve um aporte de R$ 10 bilhões no PLN 4/2019. Há também matérias importantes endereçadas pelo plano, como a possibilidade de emissão de CRA (Certificado de Recebíveis do Agronegócio) em USD no exterior, lastreado em CPR (Cédula do Produtor Rural) também em USD, algo antes vedado pela legislação local. A mudança permitirá o acesso pelos produtores médios locais ao financiamento direto no mercado de capitais estrangeiro, destravando um grande volume em potencial de recursos para o setor.

Com este novo cenário, a Mark 2 Market, especialista em CRA (Certificados de Recebíveis do Agronegócio), decidiu se credenciar como uma depositária destes títulos, concorrendo com a B3, mas com um ambiente de negócios onde o foco será a transparência e mais acesso às informações para investidores e tomadores, ajudando a expandir o financiamento do produtor rural via mercado de capitais. Tudo isso em um ambiente onde as Agrotechs possam prestar seus serviços e informações, dando publicidade ao mesmo tempo para todos os envolvidos ou interessados.

“É preciso uma mudança de mentalidade e cultura para a aceitação desta nova proposta. A Mark 2 Market aposta em uma rápida adoção, pois trata-se de um novo tipo de operação que os principais estruturadores e distribuidores hoje ou não fazem ou operam volumes muito pequenos. Quem agradece é o produtor, que com o crescimento da safra e manutenção do financiamento por recursos direcionados ficava sem alternativas de financiamento” revela Rodrigo Amato, CEO da Mark 2 Market.

Neste sentido, a securitização pode ser muito útil para a reunião de operações de crédito originalmente concedidas por um banco em forma de lastros de um novo CRA, este então vendido a investidores do mercado de capitais, sejam pessoas físicas, investidores institucionais ou estrangeiros. Permitindo um maior espaço aos principais bancos privados para que avancem na concessão de novo crédito, fazendo aquilo que é o foco de sua atividade: avaliação do risco de crédito e garantias para antecipação de recursos ao produtor.

Renata Rosa
renata@viniciuscordoni.com
(11) 99432-5186
Fonte: Inforex 
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Fechar
Fechar