AgroGeralAgroTecnologia

Composto de maçãs e ameixas é “atração fatal” para formigas

Composto pode ser alternativa à laranja

As formigas cortadeiras são consideradas uma das principais pragas agrícolas e florestais nas regiões tropicais e subtropicais das Américas. Agora, os cientistas de Bariloche identificaram um composto volátil de maçãs e ameixas frescas com uma atratividade “poderosa” desses insetos, o que permitiria sua incorporação em iscas alimentares tóxicas.

A molécula, heptil butirato, já está disponível comercialmente em outros países como uma armadilha química para vespas, uma vez que atua nesses insetos como um feromônio ou mediador de mensagens. Mas o mesmo composto também atrai formigas, como descoberto pela bióloga Micaela Buteler e outros cientistas do Instituto de Pesquisa em Biodiversidade e Meio Ambiente (INIBIOMA), em San Carlos de Bariloche. E poderia ser usado como alternativa ou complemento ao atrativo mais usados em conjunto com inseticidas em iscas, polpa de laranja e outras frutas cítricas.

“A polpa cítrica pode perder a eficácia se as formigas aprenderem a associá-la ao pesticida na isca, para que o butirato de heptile possa ser usado em uma estratégia de gerenciamento em que os atrativos são rotacionados”, disse Buteler.

Os cientistas realizaram experimentos em Dina Huapi, colocando iscas com diferentes doses de butirato de heptilo perto de ninhos de populações naturais de formigas cortadeiras das espécies Acromyrmex lobicornis, comumente conhecidas como formiga preta do Sul e temido predador. de folhas e brotos de árvores como eucalipto, oliveiras, alfarrobeiras, choupos e salgueiros.

Os resultados foram animadores. Comparados às iscas que continham apenas açúcar, aquelas com 1% de butirato de heptilo atraíram 92% mais formigas. E eles eram tão eficazes quanto aqueles que continham polpa de laranja.

Fonte: Portal do Agronegócio
Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Fechar
Fechar