AgroEconomiaAgroNegócio

Retrospectivas Cepea acompanhe algodão, trigo, arroz e mandioca

O Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, divulga hoje as retrospectivas de 2018 de algodão, trigo, arroz e mandioca (confira as análises abaixo)

Na semana que vem, serão divulgadas as perspectivas para este ano.

Hortifrútis: confira aqui Anuário 2018/2019 com análises retrospectivas e perspectivas para os 13 produtos acompanhados.

ALGODÃO: Indicador se mantém em patamar elevado ao longo de 2018
Com baixo estoque doméstico, paridade de exportação positiva e paralisação de caminhoneiros em maio, os preços do algodão em pluma estiveram em altos patamares em 2018, especialmente no primeiro semestre, de acordo com dados do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. O bom desempenho dos embarques da pluma na temporada 2016/17 – que limitou a oferta interna em 2018 –, os altos preços externos e a valorização do dólar frente ao Real também influenciaram a valorização do algodão durante os primeiros seis meses de 2018. Já na segunda metade do ano, a chegada de alguns lotes da nova temporada (2017/18) somada ao fraco desempenho do mercado de derivados brasileiro pressionaram os valores nacionais. Leia mais!

TRIGO: Apesar de maior produção, clima prejudica qualidade em 2018
O mercado de trigo iniciou 2018 com menor produção doméstica, grande volume importado e preços internos em alta, especialmente no Paraná e em São Paulo, de acordo com informações do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Esse cenário atraiu produtores e, com isso, a área em 2018 cresceu, mas o clima desfavorável prejudicou a qualidade do cereal desta temporada. Leia mais!

ARROZ: 2018 é marcado por consumo enfraquecido e pressão sobre as cotações
A cadeia produtiva de arroz voltou a sentir a pressão sobre as cotações em 2018, resultado especialmente das dificuldades de alavancar o consumo interno, segundo informações do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Os preços em queda no primeiro semestre, devido ao período de colheita e da maior negociação do cereal, pressionaram a média anual, que fechou em R$ 39,79/sc de 50 kg, em termos nominais, baixa de 2% frente à média de 2017 (R$ 40,60/sc de 50 kg). Leia mais!

MANDIOCA: Preços oscilam em 2018, mas fecham o ano em queda
A oferta de mandioca para as indústrias de fécula ficou aquém das expectativas para 2018, de acordo com pesquisadores do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Ao mesmo tempo, com a baixa liquidez nos mercados de derivados, a demanda industrial caiu ao longo do ano, pressionando as cotações.

 

FONTE: CEPEA

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo